domingo, 14 de agosto de 2011

ALMA GÊMEA

Autor: Zé Renato Rodrigues - Letra e Música Gravada pela Dupla Sertaneja - Bruno e Rodrigo


Deusa do meu caminho 
Dona dos meus carinhos
Você nasceu para ser
E eu sou seu bem amado
Seu príncipe encantado
Nosso mundo é só prazer
Seu corpo me seduz
E um desejo nos conduz
A esse amor sabor de mel
Hoje então eu acredito
(Falado) 
Que nosso amor 
Numa estrela estava escrito
(Cantado)
Nosso amor estava escrito
Numa estrela lá no céu


Estava escrito numa estrela
Nos dois presos sem saída
Meu romance meu poema
Você é minha alma gêmea
Amor da minha vida


Minha alma gêmea






ANTIGA MORADA


Autor: Zé Renato - Letra e Música - Gravada pela Dupla Sertaneja Amaury e César Rey


Quanta saudade do meu tempo de menino
Os pequeninos vivem sem pensar em nada
Nunca esqueço minha doce infância
Onde nasci aquela antiga morada


Eu sei que era um casebre muito velho
Mas a mamãe tinha um lindo jardim em frente
Pois na saudade sinto perfume das flores
Chego até ver o passado em minha mente


Vejo o papai com a enxada em seu ombro
Os pés no orvalho caminhando para a roça
E a mamãe contente fazendo almoço
Eu a brincar na sombra dessa palhoça


O gado berrando bem ao longe na invernada
E a estrada amarelada de poeira
No pensamento vejo a velha jardineira
E eu menino feliz abrindo a porteira


Quanta saudade desse tempo que não volta
Quanta saudade do meu tempo de criança
Se existisse ainda aquela tapera
Eu buscaria um morão como lembrança




POETA DA CALÇADA
Autor: Zé Renato - Letra e Música - Gravada pela Dupla Sertaneja Nando e Wando


Se eu pudesse mudaria
O  destino do nosso Brasil
Talvez seria um Governo 
Que nesse planeta nunca existiu
Transformaria o ouro em lata 
Quando fosse uso à proteção
Fiança em porta de cadeia 
Eu transformaria em pena ao cidadão
Recorreria a inteligência 
Pra acabar com o crime constitucional
Preservando nossas florestas 
Evitando o aquecimento global
Meu Deus nesse País tão rico 
Fico vendo a pobreza
A Amazônia está em pranto
E o homem nem sequer da conta
Que está matando sua natureza
Meu Deus com as mãos cansadas
De tanto esperar pego a escrever 
Dedico essa frase aos homens do poder
Afinal sou um Poeta da Calçada
Meu Deus não aguento mais
O homem está voltando aos seus ancestrais
Simplesmente há uma diferença
O homem da caverna tinha consciência
Suas florestas eram preservadas


Meu Deus . . .
Meu Deus . . .
Se eu pudesse mudaria 
O destino do nosso Brasil




ONDE ANDARÁ


Autor: Zé Renato - Letra e Música - Gravada pela Dupla Sertaneja Pedro Bento e Zé da Estrada


Às vezes para e fico imaginando
Você se foi e nem rastros deixou
Na areia da estrada desse mundo
Sua pegada de saudade só restou
Por onde quer que andamos nos sonhamos
E esses sonhos o tempo levou

Onde andará agora
O anoitecer e minha aurora
Se minhas noites já não têm valor sem o seu amor
Onde está agora
Quantas vezes choramos juntos
Quantas vezes sorrimos juntos
E agora quase sem motivo
Tudo chegou ao fim
Quantas vezes choramos juntos
Quantas vezes sorrimos juntos
E agora o tempo levou pra bem longe
Você de mim

Onde andará. . .

sábado, 13 de agosto de 2011



TOCANDO A VIDA
   Autor: Zé Renato Rodrigues - (Poema) (Fato real de minha vida)
        Trago um coração "cabocro" aqui dentro do meu peito, não "arrepare" eu  sou um caipira, pois eu falo desse jeito. Pesso licença "pro cêis" "mor de" "contá" só um "pocadinho", do que o destino no meu caminho, sem piedade me fez. Moço eu era feliz, eu levava tanta alegria. . . Quando eu pintava a "cara", e a "Famia Trapaiada"  começava "contá" piada o povo todo sorria. . . Mas nem eu e nem a "pratéia" pensava, que a tristeza me rondava, e o destino traiçoeiro esperava esse forasteiro "mor de  colocá" uma lágrima no "oiá". Moço foi nada "fáci" passa o que eu passei, vê o "úrtimo" suspiro da "cabocrinha" que eu amei. "Apesá" que eu entendo foi DEUS que quis assim, mas só quem "amô" de verdade "mor de entendê" essa "sodade" que eu levo dentro de mim. Moço, o tempo passa "ligero". . . "inté" parece" um "vendavar", inté parece que foi "onte" que eu e esse grande "amô" perante NOSSO "SENHÔ", nos "unimo" em frente o "artá". E agora ela foi embora "mor de" nunca mais "vortá". Hoje "vô" tocando a vida conversando com as "noite", "as lembrança" e a "sodade" "vai" me pegando de açoite. Na calada da madrugada eu converso com JESUS, agradeço ELE por tudo, e peço sua luz. Por mais que eu "sofro" no mundo, nunca me afasto de DEUS, e "anssim" sigo minha estrada cumprindo os dias meus. Ela me admirava, sinto que não devo "pará". . . "darveis" "inda" pinto a "cara", faço o povo "gargaiá", "memo" chorando por dentro, por fora tento "cantá", "afinar", é coisa de artista a arte de "representá". Ninguém tem "curpa" de nada, se minha cruz é pesada, eu que tenho que "carregá". Moço. . . na solidão "oio" as "estrela" e "cumeço imaginá", em que ponto do infinito será que ela "tá". Mas ela junto de DEUS, lá do além, sei que ainda me vê. "Mor de" isso meu "amô", receba minhas "prece'. . . Eu nunca "vô" te "esquecê". . .










                   PRESENTE DO CRIADOR



                             Autor: Zé Renato Rodrigues


     Um final de semana com muita luminosidade Divina a todos. Pra você que está trabalhando, seja qual for a profissão, executa-a com carinho, pois o trabalho é a dignidade do homem; portanto abençoada por "DEUS". Pra você que está de folga e vai curtir, se for dirigir não beba. Lembre-se que "A VIDA" é um "PRESENTE DO CRIADOR",  e que nossos familiares, e nossos amigos e o nosso próximo de um modo geral, são os "ENFEITES" desse presente que um dia ganhamos do misericordioso "PAI". 




Contatos:


domingo, 7 de agosto de 2011

      O  SOL  E A  LUA

Autor: Zé Renato Rodrigues

Uma vez no entardecer o sol disse pra lua:
- Mais um dia que passei sozinho, abandonado por você. A lua rapidamente respondeu:
- Se esqueceu que vivo na solidão das noites, você tão distante ainda não entendeu! O sol sem pensar duas vezes disse:
- Mas sou eu que te ilumino. Sem eu ninguém te avistaria. Naquela discussão, passou rapidamente um cometa e disse:
- Parem de brigar! Não vêem que as estrelas estão chorando! Ouvindo isso pararam de discutir. As estrelas enxugaram seus prantos, o sol e a lua são eternos namorados e a alegria voltou pra natureza.
Pois a vida humana também é assim. Tenhamos como exemplo. Vamos cultivar o amor em nosso lar, para nossos filhos seguirem o exemplo.


sábado, 6 de agosto de 2011


DONO DO MUNDO


          Autor: Zé Renato Rodrigues
    Que a brisa mansa da noite traga a paz em nossos aconchegos. Que o DONO da noite e do mundo cuide de nosso sono profundo. Que nossos sonhos do dia na noite sejam esquecidos, pra termos só sonhos lindos, em um sono bem sucedido.


sexta-feira, 5 de agosto de 2011


AS PLANTAS TAMBÉM FALAM


Autor: Zé Renato Rodrigues
Numa praça da cidade eu fiquei observando que uma árvore ipê roxo parecia estar chorando. Suas flores com o vento despencavam pelo chão, como se fossem lágrimas pela poluição. Veio-me um pensamento que as plantas também falam, "esta árvore está pedindo para o homem entender que a natureza está sumindo".



terça-feira, 2 de agosto de 2011





                   A SAUDADE FAZ PARTE
Autor: Zé Renato Rodrigues


Que o CRIADOR ilumine os longínquos caminhos por onde a saudade nos leva. E, que faça com que essa saudade não nos entristeça, mas sim, trazendo inspirações pra viver. "Pois a saudade faz parte de pedaços de nossa vida, que restaram boas lembranças".